s conversas para a permanência do técnico Renato Gaúcho no Grêmio começaram. Especialmente a partir de domingo, quando o empresário do comandante e maior ídolo gremista, Gerson Oldeburg, aterrissou nos Emirados Árabes, onde o Tricolor disputa do Mundial de Clubes. Os primeiros contatos com o treinador foram feitos pelo presidente Romildo Bolzan Júnior.

Agora as tratativas seguem com a presença de Gauchinho, como é conhecido o agente de Renato. Participarão também o executivo geral gremista, Carlos Amodeo, além de Romildo e também o vice de futebol Odorico Roman. A intenção das duas partes é a permanência e a sequência do trabalho vitorioso em 2016 e 2017, com os títulos de Copa do Brasil e Libertadores. Uma valorização deve ser tratada pelos resultados alcançados.

Gerson Oldenburg chegou a Al Ain para tratar da renovação de Renato (Foto: Eduardo Moura)Gerson Oldenburg chegou a Al Ain para tratar da renovação de Renato (Foto: Eduardo Moura)

Gerson Oldenburg chegou a Al Ain para tratar da renovação de Renato (Foto: Eduardo Moura)

Desde o título do Grêmio na Libertadores, as conversas estavam marcados para ocorrer em solo árabe. O clube está concentrado em Al Ain, próximo a Dubai e Abu Dhabi, onde enfrenta o Pachuca na terça-feira pela semifinal do Mundial.

Romildo e Oldenburg são vistos conversando constantemente. Por exemplo, em Guayaquil, no Equador, quando o Grêmio disputava a semifinal da Libertadores, a dupla ficou uma hora conversando no restaurante do hotel. Durante o segundo semestre, houve contatos informais do presidente com o treinador também para manifestar o desejo de permanência. Que é recíproco, embora Renato tenha pedido para as negociações ocorrerem após a disputa da Libertadores, para manter o foco na conquista.

Renato ao lado do vice de futebol Odorico Roman durante o treino (Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio)Renato ao lado do vice de futebol Odorico Roman durante o treino (Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio)

Essa é a terceira passagem de Renato como treinador do Grêmio. Antes, chegou durante o Brasileirão de 2010, contratado por Duda Kroeff, com o time na zona de rebaixamento, e comandou uma reação rumo à Libertadores do ano seguinte. Em 2011, deixou o clube na metade do ano, também por conta de mudança na presidência.

A segunda passagem iniciou em julho de 2013, quando Fábio Koff era o mandatário, seu presidente na época de jogador, em 1983, na conquista da Libertadores e do Mundial. Após campanha do vice-campeonato brasileiro, não renovou o vínculo. Foi buscado em setembro de 2016 e retornou ao Tricolor para ser campeão da Copa do Brasil e da Libertadores.